Sociedade Inclusiva: Politécnico de Santarém aproxima jovens com DID do mercado de trabalho através da tecnologia

Lançado este ano letivo em parceria com 40 empresas e 118 voluntários, o curso Literacia Digital para o Mercado de Trabalho é a primeira formação de educação inclusiva em contexto de ensino superior implementada em Portugal.

Desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Santarém, este curso qualifica jovens com dificuldade intelectual e de desenvolvimento (DID) com um grau de incapacidade igual ou superior a 60%, foi inspirado no modelo da Universidade Autónoma de Madrid e a sua duração é de dois anos letivos. Tem como objetivo final a integração no mercado de trabalho dos jovens e insere-se no âmbito da Iniciativa Nacional em Competências Digitais (INCoDe.2030).

Neste curso os estudantes aprendem literacia digital, ou seja, aprendem a saber ligar um computador, criar uma conta de e-mail, pesquisar, anexar ficheiros, tirar fotografias e produzir vídeos.

Trabalhar as emoções, ultrapassar obstáculos e saber relacionar-se com os outros e com o mercado de trabalho são outras competências trabalhadas. A minha unidade curricular deste semestre, “Construção do Perfil Profissional”, está muito ligada às empresas que vão dar estágio aos estudantes, onde são trabalhadas as competências e funções pedidas pelos parceiros.

No dia 2 de abril os 11 estudantes apresentaram os trabalhos em curso sobre o desenvolvimento de competências digitais ao senhor Ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, incluindo a preparação para estágios remunerados em empresas e na administração pública. Este curso veio abrir novos horizontes a estes 11 estudantes, permitiu-lhes adquirir novas competências e incluir um estágio remunerado em empresas e instituições. Seis meses depois os estudantes adquiriram mais competências ao nível da escrita, leitura e oralidade, mas desenvolveram também ferramentas sociais, pois frequentam o bar, o refeitório e outros espaços da escola. Acima de tudo, queremos que eles se sintam felizes e que aprendam competências digitais extremamente importantes para o mercado de trabalho.

Este curso também está a contribuir para a mudança de políticas, porque os estágios vão ser remunerados em instituições públicas. No final desta primeira edição, o grande objetivo é levar este curso a todo o país, para promover a inclusão.

Perfil Profissional:

Maria Potes Barbas nasceu em Lisboa, Portugal, em 1965. É Professora Coordenadora (Comunicação e Multimédia Educacional); Investigadora responsável no Instituto Politécnico de Santarém e Professora convidada da Universidade Aberta de Lisboa (30%). É Pró-Presidente de Projetos e Inovação e Membro efetivo do CIAC-UAB. É doutorada em Comunicação e Educação Multimídia pela Universidade Aberta e Pós-Doutorada pela Universidade de Aveiro (UA). Possui uma especialização em Educação e e-learning pela UAb. É Professora Coordenadora (Comunicação e Educação Multimédia) no ESE-IPS e professora convidada associada na Universidade Aberta. Também é Chefe dos Projetos e Internacionalização, Presidente do Conselho Científico da Escola Superior de Educação de Santarém (Portugal). Leciona as unidades curriculares de Projeto, Seminário e Argumento Interativo na Escola Superior de Educação de Santarém; tem experiência no desenvolvimento de ferramentas e projectos para a gestão do conhecimento sobre tecnologias de inovação, capitalização e estratégias de disseminação, intercâmbio transnacionalização e actividades de aprendizagem, eventos de concepção, apoio a decisores políticos). A sua área de investigação é “Tecnologia Educacional: comunicação, alfabetização digital e inclusão social”. Foi recentemente convidada para se tornar embaixatriz de “e-Skills for Jobs” em Portugal, uma iniciativa da UE baseada numa parceria que facilita a colaboração entre provedores de negócios e educação, atores públicos e privados, através de ações que atraiam jovens e promovam emprego. A pesquisa transnacional que realiza aborda o conceito de comunicação, média, ambientes digitais e virtuais. Colaborou no Centro de Ricerca della Sapienza per la Tutela della Persona del Minore (Universidade La Sapienza, Roma, Itália) e na Imagens do Grupo de Pesquisa, Palavras e Ideias (GIPI) na Faculdade de Humanidades da Universidade de Alcalá, Espanha. Tem sido proativa nos últimos anos em conectar empresas através do programa “Grand Coalition for Jobs”.

Partilhar: