Zoom na educação: privacidade e controlo parental

Como em qualquer plataforma online, uma das grandes preocupações do momento é a segurança de crianças e adolescentes no contexto educacional. Se é docente ou encarregado de educação, saiba que cuidados deve ter na utilização do Zoom.

O que é o Zoom?

Este software multiplataforma permite realizar, de forma intuitiva, videoconferências através da câmera e microfone. Compatível com quase todos os sistemas operativos, pode ser usado em dispositivos móveis ou computadores.

O Zoom dispõe de versões gratuitas e pagas, que diferem sobretudo no tempo de utilização, no número de pessoas ligadas em simultâneo e no suporte prestado. Saiba mais sobre esta plataforma na área de Ajuda.

Sabemos que o Zoom, tal como outras plataformas, não é infalível. No decorrer deste artigo abordamos algumas questões relacionadas com vulnerabilidades e precauções.

O problema do SPAM

Mensagens indesejadas, esquemas de phishing, videochamadas e textos de desconhecidos são uma constante no mundo online em geral. Um dos riscos para os menores de idade, é, pois, o uso inadequado destas ferramentas.

Importa referir que, ao partilhar um link de reunião numa rede social ou qualquer outro ambiente público, qualquer pessoa poderá vê-lo e entrar na videoconferência através dessa ligação. Recomendamos, portanto, que, se receber um link de reunião de alguém que não conhece – ou até se não desejar participar na mesma -, não faça nada, ou seja, não clique na ligação.

Bombardeamento de conteúdo

Tendo em conta relatos frequentes de interrupções por participantes não convidados, os riscos para a educação online não devem ser encarados de ânimo leve. São cada vez mais descritas situações indesejadas, como a partilha de discursos de ódio, imagens gráficas, pessoas a gritar palavrões ou mesmo a exibir-se durante as aulas online.

Este problema de content bombing durante as videoconferências tem sido reportado no Zoom – agora apelidado de “Zoombombing” -, bem como noutras aplicações direcionadas a adolescentes, por exemplo, a Houseparty. Dentro dos tópicos indesejados, incluem-se conteúdos pornográficos, violentos, xenófobos ou outros inapropriados.

Outros problemas de privacidade

Especialistas em segurança informática levantam diversas preocupações sobre alguns dos recursos do Zoom, entre os quais, o rastreamento de indivíduos. Esta característica permite aos apresentadores – os professores – saber se os participantes ainda estão a ver a janela da reunião.

Convém referir que o Zoom ainda não é RGPD Compliant, pelo que não assegura o cumprimento do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, aplicado à União Europeia. Em todo caso, existe já uma atualização de segurança, mas deverá ser instalada.

O Zoom está continuamente a aperfeiçoar a plataforma e a lançar novos recursos. É, por isso, muito importante que ter a versão mais recente instalada.

Dicas de segurança em qualquer plataforma de videochamada

Agora, mais do que nunca, mantenha todos os dispositivos fora dos quartos das crianças. É fundamental que lhes explique as principais dicas que todos os alunos devem seguir:

  • Nunca aceitar um pedido ou participar numa reunião de alguém que não se conhece. É sempre melhor consultar um adulto;
  • Conferir e ajustar as definições de privacidade da plataforma;
  • Nunca colocar dados pessoais irrelevantes ao contexto de aula.

Aos pais e encarregados de educação, cabe estarem atentos às videochamadas dos seus educandos. Isto não quer dizer que os devem controlar a cada instante. Significa, sim, manter a devida atenção com alguma regularidade.

Formas de reduzir os riscos do Zoom

  • Confirme se tem a versão mais recente instalada

             – Poderá consultar as atualizações na aplicação ou no website;

             – Entenda como gerir as opções de segurança, de modo a bloquear por definição a partilha de ecrã de todas as reuniões, por exemplo, ou desativar o chat privado.

  • Previna o “Zoombombing”

             – Evite hospedar reuniões públicas e não partilhe o link das mesmas publicamente;

             – Não use o seu Personal Meeting ID para hospedar videoconferências públicas;

             – Ative o recurso Waiting Room (ou Sala de Espera), que se trata de uma área de stagging que impede que os participantes entrem até terem permissão. Os anfitriões podem ainda personalizar a mensagem que as pessoas veem quando acedem;

             – Evite entrar antes do anfitrião, para que o mesmo verifique todos os participantes antes de dar início à reunião.

  • Saiba gerir os participantes

             – Se alguém tentar participar no seu evento e não estiver conectado ao Zoom com o email convidado, será forçado a autenticar-se;

             – O anfitrião pode desativar o vídeo dos participantes, prevenindo gestos ou comportamentos inapropriados, brincadeiras ou ruídos indesejados durante a conferência;

             – O anfitrião tem ainda a capacidade de ativar o recurso “Mute” para silenciar os utilizadores, evitando ruídos desnecessários;

             – Estas ações podem ser concretizadas para determinados participantes ou todos.

  • Bloquear reuniões

             – Após o bloqueio, nenhum participante novo pode participar, mesmo se possuir o ID e a palavra-passe da reunião.

  • Proteja as reuniões e chamadas com uma palavra-passe

             – As palavras-passe podem ser definidas ao nível da reunião individual ou ativadas no nível do utilizador, grupo ou conta.

  • Remova participantes indesejados

             – O menu “Participantes” inclui várias opções, incluindo a de remover;

             – Após a remoção, o utilizador removido não pode voltar à reunião. Se assim o desejar, o anfitrião pode voltar a permitir a participação desse utilizador;

             – Como alternativa, pode colocar cada participante em espera temporariamente e depois retirar da lista de espera quando desejar.

  • Desative a transferência de ficheiros no chat

             – Ao desativar a transferência, impede-se mais facilmente que entre no chat conteúdo indesejado;

             – Tanto o anfitrião como os participantes podem usar anotações durante a partilha de ecrã. Este recurso pode ainda ser desativado para impedir anotações.

  • Assegure gravações seguras

             – Ocasionalmente, pode ser necessário gravar o áudio e/ou vídeo de uma reunião, por exemplo, para partilhar com outras pessoas. É importante armazenar essas captações, por exemplo, na Cloud;

             – Gravar na Cloud (ou na “nuvem”): estas gravações ficam disponíveis por 90 dias para download ou transmissão direta da Zoom Cloud. Após esse período, são excluídas;

             – Devido à nomenclatura do Zoom, estas gravações podem ser encontradas por pessoas externas. Assim, devem ser ativadas opções de autenticação, de modo a impedir que as gravações na nuvem sejam descobertas publicamente. A opção “Somente utilizadores autenticados podem visualizar gravações em nuvem” deverá ser ativada através das definições de gravação;

             – Depois de ativadas as opções de autenticação, as gravações poderão ser protegidas por uma palavra-passe através da opção “exigir senha”. Esta poderá ser alterada pelo titular da conta;

             – Recomendamos o uso de ambas as opções.

  • Seja consciente

             – Lembre-se de que o Zoom permite a captura de ecrã. Tenha sempre atenção para não fazer nem dizer nada que possa o comprometer mais tarde.

Obrigado e boas aulas!

Partilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *