Como avaliar os alunos no E@D?

Importância da Avaliação Pedagógica em Ensino a Distância (E@D)

Com a passagem abrupta do ensino presencial para o ensino à distância, impera repensar a avaliação. Como podemos evitar assimetrias sem, contudo, deixar de avaliar os conteúdos lecionados?

Neste sentido, no passado dia 18 de maio, o Ministério da Educação divulgou, junto dos estabelecimentos da rede escolar, uma reflexão sobre o processo avaliativo, acompanhada por um roteiro com cinco princípios orientadores para uma avaliação pedagógica em ensino à distância (E@D), que pode ser consultado na íntegra em:

https://www.dge.mec.pt/noticias/importancia-da-avaliacao-pedagogica-em-ensino-distancia-ed

Neste documento, o Secretário de Estado da Educação, João Costa, explica que o terceiro período é mais um momento de ensino e aprendizagem e que o mesmo deve ser avaliado, com enfoque nas aprendizagens significativas dos alunos. Com isto reforça as diferentes formas de aprender, diferentes contextos de aprendizagem, nos quais têm que ser reformulados os instrumentos de avaliação.

            Já no roteiro, denominado “Princípios Orientadores para uma Avaliação Pedagógica em Ensino a Distância (E@D)”, propõem-se orientações a ser seguidas por escolas e professores na avaliação dos alunos durante o terceiro período, acompanhadas por exemplos que ilustram “o que pode constituir a integração de estratégias de avaliação à distância em atividades de aprendizagem, indicando, nomeadamente, aspetos como o objeto da avaliação, a forma como se pretende avaliar, com que normas/critérios, quais os intervenientes no processo de avaliação e as formas de comunicação dos resultados, com sugestões de ferramentas úteis para os diferentes objetivos de ensino e aprendizagem.” 

Estas orientações, contudo, não se constituem como documentos prescritivos, devendo as escolas adaptá-las aos seus contextos após reflexão cuidada tendo em conta o seu contexto particular.

Partilhar: